TIC

Nome do projeto: Avaliação de Desempenho Docente em Tecnologias da Informação e Comunicação: Um Estudo Transcultural Brasil – Portugal

Coordenação: Maria Cristina R. A. Joly (Univ. Brasília, Brasil) & Leandro S. Almeida (Univ. Minho, Portugal)

Equipa de investigação: Bento Duarte da Silva (UM), Alexandra M. Araújo (UM), Claudette Maria Medeiros Vendramini (USF, SP-Brasil), Anelise Silva Dias (USF), Eli Andrade Rocha Prates (USF), Nayane Martoni Piovezan (USF), Ronei Ximenes Martins (UFL, MG-Brasil), e Patrícia Vasconcelos Almeida (UFL, MG-Brasil).

Objetivos: Construção e validação de um instrumento de avaliação transcultural (Portugal e Brasil) da qualidade e frequência da utilização de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação em contexto pedagógico e no quotidiano por docentes do Ensino Superior dos dois países. Análise dos resultados por país, tomando algumas variáveis descritivas dos professores.

Resumo: O uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no quotidiano e na educação é hoje reclamado, importando conhecer a tipologia, quantidade e qualidade dessa utilização. O estudo tomou uma amostra de meio milhar de professores do ensino superior do Brasil e de Portugal, sendo a maior parte da área de Humanidades e Ciências Sociais. As idades variaram entre 22 e 73 anos, situando-se o tempo de docência entre seis meses e 39 anos.

Construiu-se uma escala de autorrelato para avaliar a literacia digital dos participantes: Escala de Avaliação da Literacia Digital para Professores. Foi verificada a validade estrutural e a precisão dos itens da escala. Os resultados sugerem que as tecnologias digitais mais utilizadas nos dois países foram o computador, aplicativos como editor de texto, navegadores de web, power point, PDF, telemóvel, ambientes virtuais de aprendizagem e projetor multimídia. Em relação à utilização da internet, a maioria relata utilizar diariamente o e-mail, notícias e criar documentos. Quanto à literacia digital, identificou-se uma competência maior para um uso instrumental das tecnologias do que para a gestão pedagógica, havendo diferenças estatisticamente significativas entre os países, a favor da amostra brasileira. Este resultado sugere a necessidade de programas de formação voltados para a gestão pedagógica com recurso às tecnologias digitais.

Pormenores técnicos: Duração entre 2012 e 2014. Projeto financiado ao abrigo do convénio bilateral CNPq/FCT.

Referências bibliográficas

Joly, M. C.R.A., Silva, B., D., & Almeida, L. S. (2013). Avaliação das competências docentes para utilização das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação. Currículo sem Fronteiras, 12, 83-96.

Joly, M. C. R. A., Cecilio-Fernandes, D., Dias, A. S., Oliveira, S. M. S. S., Bustamonte, M. I., Ávila-Batista, A. C., Almeida, L. S., Araújo, A. M., & Monteiro, S. C. (2014). Comparação das versões completa e reduzida da Escala de Competência de Estudo utilizando Rasch com universitários brasileiros. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, 1(1), 35-43.

Silva, B. D., Araújo, A. M., Vendramini, C. M., Martins, R. X., Piovezan, N. M., Prates, E., Dias, A. S., Almeida, L. S., & Joly, M. C. R. A. (2014). Aplicação e uso de tecnologias digitais pelos professores do ensino superior no Brasil e em Portugal. Educação, Formação & Tecnologias, 7(1), 3-18.